quinta-feira, 22 de março de 2018

"E os principais dos sacerdotes e todo o concílio buscavam algum testemunho contra Jesus, para o matar, e não o achavam". Marcos 14:55


Por melhor que sejam as tuas obras, sempre existirão acusadores e pessoas procurando mal em ti! Lembre-se sempre do sofrimento de Jesus não só na cruz, mas também nos dias que antecederam a sua morte, os dias de acusação, julgamento, chacota, de ser negado pelos próprios amigos/seguidores. Se Jesus, que é o Filho de Deus teve que passar por tamanho sofrimento para que se cumprissem as escrituras, imagine nós, que nem merecedores da graça somos?
Nossa sorte é que Deus é longânimo e misericordioso, Ele nos prova, mas em nada além do que possamos suportar. Ele sempre está a nos consolar, confortar e guiar para a Sua luz.
Só podemos agradecer, pois só assim receberemos, um dia, a coroa da vitória.

(Pequenas notas do bom perfume de Cristo por Vanessa Lino)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Breve reflexão


"Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor". (Romanos 14:8)


A morte é a separação da vida terrena da vida eterna, nada assustador e sim consolador, pois vivemos com a esperança de que um dia a criação se juntará ao Criador. Assim, a morte que por hora separa, um dia voltará a unir.

Ruim é o nosso coração, egoísta, que teima em achar que as pessoas que amamos pertencem a nós. Eu digo de coração cheio* que eu sou uma das mais egoístas, que ainda não consegue viver com a certeza de que algumas pessoas queridas não estão mais aqui.

Nesses últimos tempos perdemos pessoas do nosso convívio, amigos e familiares, e o coração resiste à prova do tempo, nem este anda conseguindo curá-lo.

Peço somente a Deus, que nós, que ficamos, sejamos consolados pelo Espírito Santo e que Ele nos ensine a viver os dias que restam sem a presença desses entes tão queridos.


* Fazendo referência ao texto: "porque da abundância do seu coração fala a boca", de Lucas 6.45 e Mateus 12.34.

sábado, 19 de setembro de 2009

Reflexão matutina

Lucas, sabiamente escreve em seu livro:

"E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?
Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão." (Capítulo 6, verso 41 e 42)

Deus nunca caberá em nosso conhecimento super limitado e nada que venha dele pode ser equiparado ao que conhecemos, sabemos ou pensamos. Deus não pensa como pensamos e muito menos julga como julgamos.

Ele é fiel as promessas, mas não as promessas que achamos que Ele tem pra nós, mas sim ao plano que Ele tem para cada um aqui neste mundo.

"Existem muito mais coisas entre o céu a terra do que possa imaginar a nossa vã filosofia" (William Shakespeare)

sábado, 25 de julho de 2009

Tribulação Momentânea

"Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundante um eterno peso de glória." (2CO 4.17)

"...produz para nós...". "Produz" no grego é um tempo presente que encerra a idéia de continuidade: "está produzindo para nós...", note bem. Muitos fazem a pergunta: "Porque é que a nossa vida é tão embebida de sangue e coberta de lágrimas?"
A resposta está na palavra "produz". Estas coisas estão produzindo para nós alguma coisa preciosa. Elas estão nos ensinando não só o caminho para a vitória, como as leis da vitória. Há uma compensação em cada tribulação, e a tribulação está produzindo a compensação. É como diz o velho hino:
Mais perto quero estar, meu Deus, de Ti, ainda que seja a dor que me una a Ti.
Às vezes é necessária a dor, para que a alegria seja dada à luz. Fann Crosby nunca poderia ter escrito o lindo hino:
"Face a face vê-lO-ei"
Se não fosse pelo fato de nunca ter visto um pôr do sol ou o rosto de sua mãe. Foi a falta de visão que a ajudou a formar o notável discernimento espiritual que possuía.
Quando um lenhador quer uma madeira em que haja bonitos desenhos, ele procura uma árvore que tenha sido ferida com um machado ou torcida por temporais. Assim ele sabe que os nós são firmes e que a sua textura suporta bem o polimento.
É confortador saber que a tribulação só dura pela noite; ela vai embora pela manhã. O temporal é breve, comparado com a duração do longo dia de verão.

"O pranto pode durar uma noite mas a alegria vem pela manhã."[Sl. 5.30]

Songs in the night
Igreja Presbiteriana do Brasil
Retirado do Informativo - edição 447